Ouvir vozes é normal? Descubra agora

Índice

Ouvir vozes é normal? É comum sabermos que alguém está ouvindo vozes, sem um motivo aparente e principalmente sem a presença de alguém no lugar. Ou ainda, um cenário também frequente, é ouvir voz de outra pessoa sem ter ninguém no ambiente, então vamos ver o que se isso é normal.

Na maioria das vezes, ouvir das vozes representa algum tipo de alucinação auditiva, e essa alucinação pode ou não ter uma ligação direta com um problema com a sua saúde mental.

No que se refere a saúde mental, o transtorno mais frequente nesses casos de alucinações é a esquizofrenia, enquanto um distúrbios psicóticos.

Porém, por outro lado, muitas pessoas relatam que ouvir vozes pode ser um sinônimo de saúde, então cada caso depende da sua realidade.

Outras pessoas também comentam sobre assuntos relacionadas a temáticas religiosas, contudo isso depende da crença e fé de cada indivíduo, afinal esse assunto é muito particular.

Comunidade da Fepo

Ouvir vozes é normal? Confira alguns sintomas

ouvir_vozes_é_normal

Sintomas de ouvir vozes

É um desafio descrever como é a experiência de ouvir vozes, principalmente se você (que está lendo) nunca passou por essa situação. Mas o nosso conselho é que o primeiro passo é entender o outro (caso você esteja aconselhando alguém) ou aceitar que aconteceu (se você foi a “vítima”).

Geralmente, as pessoas que têm algum distúrbio, e em consequência disso ouvem vozes, descrevem que a voz desse alguém parece estar em pé, e próximo ao seu corpo.

Terapia online para sua saúde e bem-estar

Essas vozes escutadas podem se apresentar de uma forma crítica, complementar ou até mesmo neutro. Além disso, a partir dos relatos vemos que as vozes dão comandos, em alguns casos, e essas ordens se apresentam de uma maneira prejudicial.

Vemos também que algumas pessoas acham que nunca passaram por isso, porém essa experiência é muito comum. Em especial, caso a pessoa esteja passando pela fase do luto não é atípico ouvir algo.

Outro sintoma muito comum é quando alguém ouve uma voz como se estivesse entrando na mente, porém isso é diferente quando algo inspira você ou te faz ter uma ideia. Esses pensamentos, nesse caso, são algo próprio seu, e no caso de ouvir vozes vem de fora para dentro.

Um exemplo é quando você se recorda de algum melodia, e por isso você começa a cantarolar, contudo isso não é escutar vozes, e sim lembrar de algo que escutou há um tempo, reproduzindo agora novamente.

Chat de Apoio Emocional

Caso essas vozes comecem a conversar com você este é um sinal de que as coisas não andam bem, ou até mesmo te impedindo de realizar atividades normais.

Muitas vezes a pessoa que ouve vozes não se sente capaz para conversa sobre o assunto, o que pode resultar em um possível isolamento (até de pessoas próximas do convívio comum).

Em quem isso é mais frequente?

Como foi comentado acima, muitas pessoas já passaram por essa experiência de ouvir vozes, entretanto não havia ninguém por perto.

Uma pesquisa informou que em média 25% das pessoas que já ouviram ou ouvem vozes possuem algum tipo de transtorno mental.

Por outro, as crianças que possuem idade menor ou igual a 12 anos já contaram que ouviram vozes, e na maiorias desses caso certa de 75% pararam de ouvir quando completaram 13 anos.

Programa de Atendimento Social

Nos casos em que essas vozes persistem até a fase de adolescente ou na fase adulto, isso nos deflagra uma situação de problema com saúde mental.

Causas

As vozes eram consideras somente como sintoma de doenças mentais, e não necessariamente por conta de um medo do estigma. No entanto, ouvir vozes é tida ainda como alguma alucinação ligada a audição, e este seria um sintoma de transtornos como esquizofrenia ou psicoses no geral.

As experiências do indivíduo contam muito para essa situação, principalmente se for uma vida traumática, com abuso sexual ou perda de parentes/pessoas próximas. Esses são os conhecidos gatilhos que se tornam alucinações auditivas, que afetam principalmente as crianças.

Tratamentos para parar de ouvir vozes

O tratamento tido como mais eficaz nessas situações com certeza é o método típico do uso de tranquilizantes, assim a mente fica mais calma e consegue não focar nos gatilhos. Mas o fato é que as vozes não vão embora.

Nos últimos tempos, os profissionais que atuam nessa área aprenderam que não seria interessante ficar questionando sobre as vozes ou qual a sua natureza, e sim tentar distrair o paciente dessas vozes.

Apesar de ser importante identificar qual a causa em específico dessa alucinação auditiva, com certeza o tipo do tratamento, bem como o acompanhamento médico, dependerá diretamente de todo o cenário que o paciente estiver passando.

Se o paciente ainda estiver muito fragilizado com essa situação e sensível para falar do assunto, comentar demais sobre o tema pode fazer com que as vozes voltem de uma forma mais frequente.

É necessário focar na saúde do paciente e saber como ele está depois de tudo isso.

Felipe Laccelva

Felipe Laccelva

Psicólogo formado há mais de dez anos, fundador e CEO da Fepo. Fascinado pela Abordagem Centrada na Pessoa, que tem a empatia como eixo central para transformar o ser humano. Sempre buscou levar a psicologia para mais pessoas e dessa forma criar um mundo mais saudável e acolhedor.

Agendar consulta