Remédios que ajudam vencer a depressão

Índice

Sabemos que a depressão é uma doença real e que, atualmente, ganhou ainda mais repercussão por conta do debate vindo de pessoas famosas. Isso é um ponto positivo, afinal é necessário entender e conversar sobre o assunto, sendo a única forma de respeitar, através da compreensão. Mas, como vencer a depressão?

A depressão em si ainda não foi descoberta em sua totalidade, assim como muitas outros doenças ou transtornos. Cremos que a maior dificuldade nesse assunto se refere as causas e motivos para o início e desenvolvimento da depressão.

Queremos deixar claro que não existe uma fórmula mágica de como tratar ou até mesmo vencer a depressão, porém você pode recorrer a métodos eficazes nessa jornada.

O primeiro passo com certeza é procurar por ajuda médica profissional, pois é através do diagnóstico que você pode identificar com razão o que você passando. Não tem como melhorar algo que você não conhece, então saber do que se trata é a chave inicial para esse longo processo.

Não ache que você vai melhorar de um dia para o outro, será uma jornada longa e árdua, podendo testar os seus limites de dedicação, porém todos os seus passos valerão a pena no final.

Comunidade da Fepo

Dito isso, vamos falar sobre alguns remédios que podem ser os seus aliados na luta para vencer a depressão, vamos conferir?

vencer_a_depressao

Quais remédios devo tomar para vencer a depressão?

A partir do momento que você descobre que tem depressão, sabemos que o desespero é o primeiro sentimento a surgir, afinal você não sabe o que está por vir, e o medo também pode aparecer com mais frequência.

Entendemos que no início desse processo de tratamento para vencer a depressão, assim como a descoberta, você com certeza vai procurar muita coisa sobre o assunto a fim de entender melhor sobre o que pode ou não ser feito neste momento de tanta vulnerabilidade.

Terapia online para sua saúde e bem-estar

Você vai se deparar com lugares que te recomendam remédios específicos, porém tratados de uma maneira geral.

O que aconselhamos é que confie no profissional que está te acompanhando, pois ele entende suas necessidades e como você pode cuidar do que está acontecendo com sua saúde no momento.

Hoje nós separamos os remédios mais comuns e frequentes que os pacientes com depressão tenho costume de tomar, mas tome isso como o informativo.

Cada um possui a sua forma única de tratar da depressão, assim como outros transtornos, então os remédios não são os mesmos para todo mundo, e se fosse assim não existiriam tantas opções.

Chat de Apoio Emocional

É importante entender sobre como os remédios funcionam no corpo até para se prevenir quanto aos efeitos colaterais.

A primeira classe de antidepressivos que queremos citar são os tricíclicos, sendo principalmente conhecidos a imipramina, a clomipramina ou a nortriptilina.

Quanto aos efeitos colaterais desses antidepressivos vamos principalmente a boca seca, problemas com a prisão de ventre, dificuldades para se manter acordado e tonturas sempre que tentar se levantar, seja rápido ou devagar.

A segunda classe de antidepressivos que trouxemos para o seu conhecimento são os inibidores seletivos da recaptação da serotonina, sendo os principais nomes genéricos fluoxetina, a paroxetina, citalopram ou a sertralina.

Esses remédios também deixam os pacientes com a boca seca, sonolência e a prisão de ventre, porém com o adicional do excesso de suor, dores de cabeça e dificuldades com a ejaculação.

Outro grupo importante de antidepressivos são os inibidores de recaptação ou aumento da atividade da serotonina e da noradrenalina. Os seus principais nomes são a venlafaxina, duloxetina ou mirtazapina.

Programa de Atendimento Social

Os efeitos colaterais dessa classe de antidepressivos pode incluir, dentre todos os outros efeitos que citamos acima, a visão turva e o nervosismo.

Por fim, deixamos para citar a classe de antidepressivos inibidores da monoaminoxidase, com seus nomes genéricos em destaque a selegilina, a página, e a fenelzina.

Os seus efeitos colaterais são totalmente diferentes dos quais citamos acima sobre as outras classes de antidepressivos, sendo principalmente preocupante o aumento da pressão e do peso corpóreo, a hipotensão postural e a insônia.

Como diminuir os efeitos desses antidepressivos?

Sabemos que a ingestão de antidepressivos pode resultar em alguns efeitos colaterais pesados, e nem todo mundo se acostuma com essa realidade.

Talvez o primeiro passo para diminuir ô reduzir exponencialmente os efeitos dos antidepressivos seja conhecer como se o corpo reage com essa nova realidade.

A partir do uso, você conhecerá exatamente como seu corpo reage de que maneira você pode tratar esses efeitos.

Depois disso, será necessário controlar os seus pensamentos e a sua mente, entendemos completamente que essa talvez seja a tarefa mais difícil.

Por mais que essa jornada seja longa e árdua, você precisará ter foco e dedicação para conseguir sair dessa com a sua saúde mental melhorada.

Geralmente, os remédios começam a fazer efeito no período de duas a seis semanas, e caso você não esteja lhe dando bem com isso, é possível conversar com profissional que estão acompanhando para fazer mudanças de remédios.

Felipe Laccelva

Felipe Laccelva

Psicólogo formado há mais de dez anos, fundador e CEO da Fepo. Fascinado pela Abordagem Centrada na Pessoa, que tem a empatia como eixo central para transformar o ser humano. Sempre buscou levar a psicologia para mais pessoas e dessa forma criar um mundo mais saudável e acolhedor.

Agendar consulta