Terapia Sexual: como funciona e quando procurar?

Índice

Com a terapia sexual, é possível descobrir quais são os fatores médicos, psicológicos, pessoais ou interpessoais que estão prejudicando a sua vida sexual.

Imagem 1 do artigo Terapia Sexual: como funciona e quando procurar?

O psicoterapeuta deve ajudá-lo(a) a entender quais são os desafios físicos e emocionais, que você tem que superar para voltar a ter uma vida sexual saudável.

Converse com seu psicólogo para entender quais são as suas preocupações com relação às suas atividades sexuais, com a terapia, a satisfação sexual pode ser alcançada sem o uso de medicamento.

O que é a terapia sexual?

É procurada por casais que desejam ter um bom desempenho sexual, também é eficaz no tratamento de problemas como: disfunções sexuais, como ejaculação precoce, ejaculação tardia, disfunção erétil, perda de vontade sexual e o chamado sexo doloroso (vaginismo e dispareunia).

Com o auxílio da terapia, conseguimos realizar mudanças de hábito, que ajudam a entender como lidar com problemas que afetam a nossa vida sexual, como é o caso da parafilia, é quando a pessoa apresenta desejo por objetos, situações, fantasias e comportamentos anormais.

Comunidade da Fepo

Pessoas que fazem parte do grupo transgênero, devem receber orientações na terapia sexual, se você está na fase de transição, para que não haja nenhum transtorno é necessário ter o acompanhamento com um psicólogo.

A terapia pode ajudar a resolver diversos problemas, sendo que os mais comuns são: a libido, sexualidade hiperativa, não ter confiança no sexo, tratamento para superar o abuso sexual, questões sexuais na terceira idade, doença ou incapacidade, devem ser acompanhadas na terapia.

Medicação para a terapia

Em alguns casos, a medicação poderá ser indicada como um complemento para a terapia, a medicação pode ser útil para homens e mulheres, como a naturopatia, por exemplo, estes medicamentos são essenciais, pois elevam o nível de testosterona.

As mulheres também podem apresentar problemas de lubrificação, para este caso, a prescrição de hormônio é indicado para que o problema seja resolvido, antes de prescrever os médicos devem fazer uma avaliação.

Terapia online para sua saúde e bem-estar

Quando há necessidade de receitar medicamentos, a prescrição deve ser realizada por outros médicos, como o ginecologista e o urologista, se o terapeuta sexual também for médico, este pode receitar medicamentos.

Quando é necessário procurar?

Não há uma razão específica para solicitar ajuda de um terapeuta, os casais podem identificar situações no seu dia a dia, que estejam atrapalhando o seu desempenho sexual, se os problemas persistirem é importante buscar ajuda médica e psicológica.

A falta de intimidade no relacionamento, também pode ocasionar problemas sexuais, não importa sua idade ou sexo, todos precisamos de ajuda com este tipo de terapia.

Se o adolescente se encontra preocupado com sua sexualidade, o terapeuta sexual poderá orientá-lo, para que a dúvida não atrapalhe os seus afazeres, neste caso, o adolescente deve informar aos pais e responsáveis sobre o seu interesse em participar de uma terapia.

Chat de Apoio Emocional

Boa parte dos indivíduos participam de terapia sexual a um curto prazo, logo, é importante destacar que, alguns casos exigem um aconselhamento e acompanhamento de longo prazo.

Somente com uma avaliação detalhada do psicólogo, é que ele poderá saber quantas sessões serão necessárias para ajudar a pessoa que está com dificuldades sexuais, há casos que inclui fatores externos, como abusos sexuais, por exemplo, estes são ainda mais complexos para os profissionais.

Quais são as disfunções sexuais mais comuns?

Pessoas que sofrem com a disfunção sexual são comuns no mundo, que pode atingir homens e mulheres, ao menos uma vez na vida este problema pode acontecer, veja quais são as disfunções que podem ocorrer:

  • disfunção erétil;
  • pouco libido;
  • perda de interesse por sexo;
  • ejaculação precoce;
  • não manter confiança;
  • ausência de resposta ao estímulo sexual;
  • não conseguir manter o orgasmo;
  • libido em excesso;
  • não manter o  controle sobre o comportamento sexual;
  • pensamentos sexuais que geram angústia;
  • fetiches sexuais inapropriados.

O que é disfunção erétil?

A disfunção erétil acontece quando não existe capacidade de ter uma ereção do pênis suficiente, para que a atividade sexual seja prazerosa até o fim. Este problema pode ser ocasionado por doenças crônicas ou até por problemas psicológicos, este é um problema comum em todo o mundo, que prejudica a vida dos pacientes e de suas parcerias.

É possível que haja mais de um motivo, para o surgimento dessa disfunção, entre eles podemos citar:

Problemas circulatórios

O fluxo do sangue deve acontecer corretamente no pênis, algumas alterações podem prejudicar a circulação,  causando essa disfunção, que deve ser tratada pelo urologista.

As doenças cardiovasculares (hipertensão, doença arterial coronariana), diabetes, colesterol elevado, tabagismo, cirurgias prévias na pelve e pessoas submetidas a radioterapia prévia, podem atrapalhar a circulação sanguínea na região do pênis.

Neurológicas

Está comprovado que cerca de 20% dos casos de disfunção erétil se relacionam a problemas neurológicos, sendo que as doenças mais comuns são: degenerativas (esclerose múltipla, doença de Parkinson), acidente vascular cerebral, tumores do sistema nervoso central e traumatismos.

Anatômicas ou estruturais

Alguns problemas que afetam a anatomia peniana, ocorrem no nascimento,  esses problemas afetam a ereção e as relações sexuais do indivíduo na vida adulta.

Neste caso, a doença de Peyronie,  é uma das mais comuns, que contribui para a formação de uma placa de tecido endurecido ao longo dos tubos interiores do pênis, ocasionando com isso,  uma curvatura anormal, esta curvatura danifica a ereção.

Distúrbios hormonais

Estes desequilíbrios afetam homens e mulheres,  causando oscilações de líbido, nos homens pode ocorrer a falta de testosterona, que é uma das responsáveis pela ereção.

Há outros fatores que também afetam a ereção, por exemplo,  disfunções da glândula tireóide (hipertireoidismo, hipotireoidismo), a glândula hipófise (hiperprolactinemia), etc..

Induzida por drogas

Alguns medicamentos prejudicam o funcionamento do pênis, como anti-hipertensivos, remédios para depressão, antipsicóticos e uso de drogas como álcool, heroína, cocaína, metadona, enfim.

Impotência feminina

As mulheres também sofrem com transtorno da excitação sexual feminina, ainda é um tema pouco discutido e que também afeta a vida dos casais, quando não tratado corretamente, este é um problema que pode causar muita dor.

Existem fatores físicos e psicológicos que podem ocasionar este problema, como diabetes, doenças cardiovasculares, dificuldades no relacionamento ou estresse, por exemplo. Se este for o caso de sua parceira, é importante encaminhá-la para um tratamento.

Causas mais comuns

Os fatores físicos e emocionais são os mais comuns,  logo, há alguns medicamentos que também podem afetar a saúde da mulher, veja algumas possíveis causas para este transtorno:

  • Diabetes;
  • Estresse;
  • Depressão
  • Transtornos alimentares;
  • Baixa estima;
  • Doenças cardíacas;
  • Transtornos neurológicos;
  • Utilizar alguns tipos de anticoncepcionais, diuréticos ou antidepressivos;
  • Brigas com parceiro (a);
  • Alcoolismo;
  • Abuso de drogas;
  • Endometriose;
  • Infecção urinária ou genital.

A fase da menopausa também pode gerar a perda de líbido, a retirada dos ovários pode provocar este transtorno, é necessário que haja um acompanhamento com equipes interdisciplinares para garantir a saúde da mulher.

Como detectar a impotência?

No momento da relação, o homem e a mulher podem detectar se há sinais de transtorno de excitação, se persistir em mais de uma tentativa, é necessário que a mulher procure ajuda médica.

Assim como ocorre com os homens, as mulheres também perdem interesse pela relação sexual, no caso da mulher,  há uma redução da lubrificação da vagina, com isso, o desempenho da relação diminui, este é um sério problema que pode prejudicar a sua autoestima e também do seu parceiro.

Com o passar do tempo, as mulheres passam a ter mais dificuldades de excitar-se, neste caso, é conveniente solicitar auxílio de um ginecologista e com um psicoterapeuta, apenas uma equipe médica saberá detectar se o transtorno está relacionado com fatores emocionais, como estresse e abuso sexual.

Problemas sexuais femininos mais comuns

Imagem 2 do artigo Terapia Sexual: como funciona e quando procurar?

Na vida sexual, as mulheres podem apresentar problemas que devem ser acompanhados com uma ginecologista. Para as mulheres,  disfunções sexuais femininas mais conhecidas são:

  • Não ter desejo sexual;
  • Não conseguir orgasmo – anorgasmia;
  • Apresentar dor na relação sexual – dispareunia;
  • Problemas com a penetração vaginal – vaginismo.

A perda de líbido pode ocorrer entre  15% e 35% das mulheres, este é um problema que ainda causa muito tabu na sociedade, que tem solução com acompanhamento médico e psicológico.

As alterações hormonais são uma das causas mais conhecidas (pelo uso de anticoncepcional), há outras causas como: parto, amamentação, menopausa, disfunções hormonais e antidepressivos.

Abaixo, listamos os problemas mais comuns, sobre líbido que as mulheres podem apresentar, veja quais são:

Anorgasmia

Trata-se do problema de não conseguir atingir o orgasmo suficiente,  se a mulher consegue ter orgasmo apenas com masturbação, é provável que ela possa sofrer com esta doença.

Vaginismo

As mulheres não possuem prazer com a penetração sexual, isso ocorre porque há uma contração involuntária dos músculos próximos à vagina, um dos prováveis sinais dessa doença é a ansiedade, que pode provocar a tensão e dor, apenas com a ajuda médica os sintomas podem ser minimizados. 

Quais benefícios a terapia sexual pode proporcionar?

As terapias de um modo geral, trazem muitos benefícios para os pacientes, no caso da terapia sexual é possível devolver bem-estar aos casais, se você sente dificuldades em ter relações com seu parceiro(a) é um grande sinal de alerta para pedir ajuda.

A orientação sexual não é apenas para casais que apresentam problemas sexuais, se você está com sua vida sexual em dia, a terapia sexual pode ajudá-lo(a) a manter a sua relação sempre saudável, confira outros benefícios que esta terapia pode proporcionar:

  • otimiza a comunicação do casal;
  • sua convivência será mais harmoniosa;
  • a saúde física torna-se mais saudável para ambos;
  • a confiança é mantida;
  • garante maior intimidade.

Como funciona o processo psicoterapêutico?

Na terapia, os psicólogos devem fazer uma avaliação física e psicológica, se for o caso, você deve ser encaminhado para um ginecologista ou urologista, para receitar algum medicamento.

Por se tratar de um assunto extremamente íntimo, é importante que ambos os lados estejam comprometidos para alcançar o objetivo principal, que é de garantir mais qualidade de vida para o paciente através da terapia.

Se o casal decidir procurar ajuda, é possível que os atendimentos sejam realizados com o casal, caso o problema afete os dois ao mesmo tempo, somente o psicólogo decidirá qual o melhor formato de atendimento.

É importante que você aproveite este momento, para expor seus pensamentos, dessa forma, o psicólogo pode descobrir quais as causas do problema sexual.

Com as conversas, os terapeutas podem propor exercícios ao ar livre, que são extremamente necessários para o sucesso da terapia, por isso, você não pode faltar em nenhuma das sessões, mesmo que seja em um ambiente online.

Como melhorar a relação sexual?

Algumas dicas do dia a dia, são extremamente úteis para devolver a qualidade de vida e também melhorar seu desempenho sexual, veja algumas abaixo:

1º Exercícios físicos são essenciais

Para garantir um bom desempenho sexual, faça treinamentos aeróbicos, por exemplo, corridas, natação, ciclismo, pular corda, estas atividades ajudam o sistema cardiorrespiratório, trabalhando o nível de condicionamento.

2º Entre na trilha do autoconhecimento

O autoconhecimento está relacionado com a autoestima, neste ponto a terapia pode ser útil em todas as partes,  é um procedimento fundamental para quem quer conhecer o corpo.

3º Verifique pontos de compatibilidade com o parceiro(a)

Antes de escolher alguém para se relacionar, procure saber quais são seus objetivos e interesses, veja se realmente são parecidos com os seus.

Uma relação não é feita somente com base no funcionamento sexual, há outros fatores envolvidos, como por exemplo, termos de comunicação, de interesse e diálogo, lembre-se o sexo não começa na cama, são várias situações que contribuem até chegar no sexo.

Agende a sua terapia online

É fundamental não negar a sexualidade quando você quer ter qualidade de vida e se conhecer mais, a terapia sexual existe para ajudá-lo(a) a entender como o sexo é importante na vida de qualquer ser humano.

Imagem 3 do artigo Terapia Sexual: como funciona e quando procurar?

Saiba que, com o avanço da internet, as pessoas estão procurando ajuda com terapias online, com o parceiro(a) ou sozinhas para resolver seus problemas sexuais, ainda hoje muitos problemas relatados aqui no artigo é um grande tabu, no entanto, há solução para muitos deles, com terapia e medicação.

Aqui na FEPO, com apenas alguns cliques, você tem acesso aos melhores psicólogos sem precisar ir a uma clínica de psicologia. Todos os nossos profissionais possuem o CRP, diploma de Psicologia e experiência na área de atuação.

Conheça também nossos planos de terapia sexual e outras terapias, tratamos problemas como ansiedade, depressão, síndrome do pânico, etc., temos um bom custo/benefício para empresas que querem cuidar de seus colaboradores.

Portanto, agende já a sua consulta!

Felipe Laccelva

Felipe Laccelva

Psicólogo formado há mais de dez anos, fundador e CEO da Fepo. Fascinado pela Abordagem Centrada na Pessoa, que tem a empatia como eixo central para transformar o ser humano. Sempre buscou levar a psicologia para mais pessoas e dessa forma criar um mundo mais saudável e acolhedor.

Agendar consulta